Uma campanha de amor

19.5.15
Esta bonita boneca podia ter sido desenhada pelos nossos filhos. Mas esta bonita boneca foi desenhada pela Catarina. A Catarina é uma menina de 6 anos, em tratamento no IPO de Lisboa.
Esta campanha faz parte de uma angariação de fundos, organizada pela Fundação Rui Osório de Castro (instituição sem fins lucrativos que apoia a oncologia pediátrica)
A FROC lançou o desafio ao designer Filipe Faísca de criar uma edição limitada de t-shirts e tote bags que revertem na totalidade para a causa da oncologia pediátrica. O designer teve a ajuda de 9 meninas em tratamento contra o cancro que foram desafiadas pelo designer a desenhar sobre o 'Amor'.

E porque ajudar nunca é demais, os itens podem ser adquiridos no atelier do Filipe Faíssca ou encomendados através do email info@froc.pt ou telefone 217 915 007, podendo ser levantadas na sede da Fundação ou enviadas por ctt.

(A tote bag “Boneca” custa 10€ . A t-shirt “Boneca” custa 20€).

A totalidade das verbas angariadas nesta venda revertem para a Fundação continuar a sua missão em apoiar a causa da oncologia pediátrica.

Muito Amor e Força para estas crianças.

Muffins Salgados com salmão, pesto e queijo creme :: Savoury Muffins with Salmon, Pesto and Cream Cheese

23.4.15
Esta é sem dúvida uma receita de fim-de-semana, que vi num dos meus blogues preferidos. Daquelas que se podem fazer para o brunch, almoço, ou aquele "lanche ajantarado" de Domingo. Uma receita para receber a Primavera. É super simples e rápido de fazer, e o recheio não poderia ser mais delicioso. Preparem-se porque não vão conseguir comer só um....
...
This is undoubtedly a weekend recipe, that i saw on one of my favourite blogs. Excellent for brunch, lunch, or that Sunday's evening snack. A recipe to welcome Spring. It's super simple and quick to make, and the filling could not be more delicious. Get ready because you won't be able to aet only one of these...

Song while cooking: 'The sun is shinning down' by J.J. Grey & Mofro

Ingredientes (para 6 / 8): 2/3 chávena de farinha de trigo, ½ chávena de farinha de milho, ½ colher de chá de bicarbonato de sódio, ½ chávena de queijo ralado (como cheddar ou mozzarella), sal e pimenta, 2 colheres de sopa de azeite, 2/3 chávena de manteiga, 1 colher de sopa de pesto, 1 ovo,1 tomate cereja em cada muffin.

Recheio: Salmão fumado, queijo creme, pesto, e agrião (ou rúcula ou canónigos)
...
Ingredients (makes 6 / 8): 2/3 cup all purpose flour, ½ cup cornmeal, ½ tsp baking soda, ½ cup grated cheese (like cheddar), salt and pepper, 2 tbsp olive oil, 2/3 cup buttermilk, 1 tbs pesto, 1 egg,1 cherry tomato in each muffin

For servingsalmon, cream cheese, pesto, sprouts


Mãos na Massa: Pré-aquecer o forno a 180 ° C. Colocar todos os ingredientes (à excepção dos tomates) numa taça e misturar todos os ingredientes com uma colher, de modo a que combinem. Untar uma forma para 6 ou 8 muffins, e despejar a massa. Coloque um tomate cereja inteiro em cada um. Levar ao forno por cerca de 20-25 minutos.
Quando estiverem prontos, deixar arrefecer. Servir com uma fatia de salmão, queijo creme, uma colher de chá de pesto e verduras à escolha.
...
Let's cook it: Preheat an oven to 180°C (355°F). Place all the ingredients except for tomatoes in a bowl and using a spoon mix just a little bit, so all the ingredients combine. Grease a muffin form (for 6 or 8 muffins) and pour dough into it. Place a whole cherry tomato in each one. Bake for about 20-25 minutes.When ready let it cool. Serve with a slice of salmon, cream cheese, teaspoon of pas to and sprouts.


Bons Fins-de-Semana primaveris!
...
Happy Spring Weekends!

Much Love,
Ana*


18 months

15.4.15

Querida Ema,
Um dia serás mãe... e como tua mãe devo alertar-te para algumas coisas importantes sobre esta tão arrebatadora aventura.
Fazes hoje 18 meses. 18 meses cheios de emoções e aprendizagens. 18 meses que me fazem pensar que a maternidade se descreve em 3 palavras: Amor, Altruísmo e Responsabilidade.
Ao olhar para trás, devo dizer que não é tudo sempre maravilhoso, especialmente no início.
Como escreveu a Isabel Stilwell: "Tenho alergia a mães que fingem que isto não custa nada, que não perdem a paciência, não têm saudades de um tempo em que podiam tomar um banho de imersão, e namorar sem interrupções".
As mães não nascem ensinadas. A tua mãe tinha uma vida anterior, em que podia fazer o que quisesse, às horas que queria, com total liberdade. A chapada da responsabilidade, confesso, foi chocante. Quando nos vemos com um bebé nos braços mergulhamos numa bolha de medo, incerteza, choque e insegurança. Por fora, fingimos que temos tudo sob controlo, que estamos a dominar perfeitamente a situação, mas por dentro choramos e desesperamos.
Aprendemos que amamentar não é para todas (e que isso não é o fim do mundo), que é proibido fazer planos com horas marcadas, e que andar com o coração nas mãos será uma realidade durante muitos e longos anos.
Mas como em tudo na vida, filha, o tempo muito ajuda, e devagarinho vamos vestindo a pele de Mãe, e às tantas chegamos a uma altura em que percebemos que ninguém cuida melhor das nossas crias do que nós. As preocupações e receios transformam-se em novos sonhos e planos futuros, mesmo que continuem a haver picos de cansaço tão pesados que nos fazem pensar duas vezes sobre querer repetir esta aventura.
Depois há todo o outro lado maravilhoso, como saber que eu e o pai somos o centro do teu mundo, e sentir que és, literalmente, a nossa vida e o ar que respiramos.
Porque não há nada melhor que ver-te crescer, aprender a andar e a falar, ver-te a acordar a cantar e tagarelar, ouvir as tuas gargalhadas, admirar-te a percepcionar todo um novo mundo. Contigo volto à infância, mato saudades dos desenhos animados e das bonecas que eram minhas, como com as mãos e faço bolhinhas com a palhinha no copo com água. Fico com ar embevecido de cada vez que te olho, e com a pele arrepiada de cada vez que me fazes um carinho ou me dás um beijo.
Quando somos mães, o nosso coração torna-se elástico, e pode explodir de emoção várias vezes num mesmo dia, voltando ao sítio como se nada fosse.
Também é verdade que ficamos ainda com mais medo que nos aconteça alguma coisa e por isso começamos a cuidar ainda melhor de nós e dos nossos, e a pedir que tenhas sempre saúde e que nada te falte nunca.
Aprendemos que férias com crianças não são férias, que alguns amigos sem filhos se esquecem de nós, que a casa sempre arrumada é uma utopia, que deixamos de ter nome, que entupimos a memória do nosso computador com milhões de fotografias dos rebentos, e que a melhor coisa do mundo é MESMO dormir! :)
Corrijo, a melhor coisa do meu mundo és tu filha... a melhor coisa do mundo das mães são os filhos, que nos fazem sentir heroínas com super poderes e com forças que vamos buscar não sei onde...e que por mais que muitas vezes nos queixemos, nunca trocaríamos esta vida por nenhuma outra.

Parabéns meu amor.
Sempre tua,

Mamã.
...

Dear Emma,
One day you will be a mother ... and as your mother I must warn you about some important things about this so overwhelming adventure.
You're 18 months today. 18 months full of emotions and lessons. 18 months that make me think that motherhood is described in three words: Love, Altruism and Responsibility.
Looking back, I must say that is not all always wonderful, especially at the beginning.
As Isabel Stilwell wrote, "I have allergies to mothers who pretend that it does not cost anything, do not lose patience, have no longing for that time when they could take a bath, and dating without interruption."
Your mother had a previous life, she could do whatever she wanted with complete freedom. The new responsibility, I confess, it was shocking. When we find ourselves with a baby in the arms we dive in a fear bubble, uncertainty, shock and insecurity. On the outside, we pretend that we have everything under control, but inside we cry and despair.
We learn that breastfeeding is not for all (and this is not the end of the world) and it is forbidden to make plans with set times.
But as everything in life, dear daughter, time helps a lot, and we slowly lear how to be a mother and so it comes the time when we realize that no one takes better care of our children than us. The concerns and fears are transformed into new dreams and future plans, even if we continue to be tired as hell, which make us think twice about wanting to repeat this adventure.
Then there is all the other wonderful side, like knowing that me and dad are the center of your world, and you are our life and the air we breathe.
Because there is nothing better than see you grow, learn to walk and talk, see you wake up singing and chattering, hear your laughter, wonder you to perceive a whole new world. With you i go back to childhood, play with the dolls that were mine, eat with my hands and make bubbles with the straw in the cup with water. I fall in love every time I look at you, and have goose bumps every time you make me a cuddle or give me a kiss.
When we are mothers, our heart becomes elastic, and can explode with emotion several times in one day, returning to the same place as if nothing had happened.
It is also true that we are even more afraid to die and so we began to take even better care of us and ours, and ask that you have always health and everything you need.
We learned that holidays with children are not to rest, some friends without children forget us, that a tidy house is an utopia, that we no longer have a name, that we fill the memory of our computer with millions of photographs of the children, and the best thing in the world is sleep! :)
I mean... the best thing in my world is you dear daughter ... the best thing in Mother's world are the children, who make us feel heroes with super powers and forces that we get i don't know where ... and despite of the often complains, we would never trade this life for no other.

With love.
Always yours,
Mom.

20 coisas (in)úteis sobre quem escreve este blogue :: 20 [weird] things you might don't know about me

24.3.15
A poucos dias de completar 33 anos (33!!!) e numa altura em que não me tenho dedicado tanto ao blogue como gostaria (por boas razões), decidi fazer um post mais pessoal, o que já não acontece por aqui há algum tempo. Já tinha visto estes posts engraçados de "auto-análise" em tom confessional em alguns blogues estrangeiros, e adorei lê-los e conhecer melhor quem sigo e tanto admiro. Isto porque o que os bloggers publicam é sempre muito bem seleccionado, e dependendo da temática de cada blogue, muitas vezes acabamos por desconhecer curiosidades (úteis ou inúteis) de quem os escreve. Afinal todos nós temos particularidades mais ou menos comuns (e mais ou menos bizarras) que muitos desconhecem. Então, cá vai:

1. Não gosto de esperar e ainda menos de fazer esperar (sou fiel escudeira da pontualidade britânica)
2. Não vivo sem pão, queijo, café, chocolate e coca-cola [ainda que o pão seja escuro e integral, o queijo com pouca gordura, o café só dois por dia, o chocolate preto e sem açúcar, e a cola zero só ao fim-de-semana].
3. Depois de ser mãe, choro sempre que ouço músicas ou vejo filmes, séries, desenhos animados com cenas carinhosas e/ou dramáticas entre pais e filhos.
4. Não gosto de sair à noite em geral (a não ser que seja em noites quentes de Verão), e não sou fã de discotecas em particular (prefiro jantaradas em casa que se estendem até de madrugada e em que se fala de tudo e de nada, no meio de muita palhaçada e boa comida)
5. Sou viciada no pinterest... (acho que mais gente sofre deste "mal" tão inspirador)
6. Durante o Inverno hiberno, e devoro uma quantidade enorme de filmes e séries (a sério, como se costuma dizer "papo tudo": Sons of Anarchy, Homeland, Game of Thrones, House of Cards, The Knick, Suits, The Walking Dead, e por aí em diante....
7. Tive um piercing no nariz  durante anos e de vez em quando sinto saudades de ter ali um pedacinho de metal.
8. Sou acelerada a conduzir (e tenho mesmo que corrigir este grande defeito)
9. Sou (um bocadinho) obcecada com arrumação e organização.
10. Adoro acordar cedo [mas não de madrugada...esta foi uma indirecta para minha filha :) ]
11. Tenho medo de gatos (fobia, mesmo) e adoro cães.
12. Fiz dança contemporânea durante alguns anos e não perco um "achas que sabes dançar" :)
13. Quando era pequenina queria ser treinadora de golfinhos, os meus desenhos animados preferidos eram a "Ana dos Cabelos Ruivos" e o Tom Sawyer. Mais tarde, adorava ver com o meu irmão o Alf, McGyver  e o Prince of Bel-Air (ok...confesso que ainda hoje revejo alguns episódios deste último, e continuo a achar hilariante).
14. Sou do Benfica, mas não ligo nenhuma a futebol, nem sei os nomes dos jogadores.
15. Sou muito gulosa...mas não é uma gulosa qualquer, é uma gulosa "da pesada". Para mim uma sobremesa que me tira do sério tem que ter ou chocolate, ou leite condensado ou ovos moles... (ah!e o melhor acompanhamento para a nutela é, apenas e somente, uma colher!)
16. Gosto do cheiro a alho crú que fica nas mãos quando cozinho (agora vocês devem estar a pensar: whaaaat?")
17. Gosto muito de música, mas ainda mais de silêncio (cada vez o sei apreciar mais)
18. Mal me sento num avião adormeço (desconfio que põem sonífero na ventilação)
19. Regra geral acordo sempre bem-disposta, mas prefiro não falar muito, nem que falem muito comigo.... (32 anos depois, a minha mãe ainda não captou muito bem esta parte).
20. Não tenho jeito nenhum para tirar selfies [acabo sempre a sentir-me um tanto ao quanto ridícula].

E agora desafio quem está desse lado e tem um blogue a fazer este exercício de auto-análise. Espero que se divirtam tanto, como eu me diverti a escrever este!
...
A few days from completing 33 years (33 !!!) and in these days when I have't dedicated myself to the blog as much as I would like (for a very good reason), I decided to take a more personal post, different from what is normal here. I had seen these funny posts of "self-analysis" in confessional tone in some blogs, and loved to read them and know better who i follow and admire so much. Because what bloggers share is always very well selected, and depending on the theme of each blog, we often end up ignoring curiosities (useful or useless) of those who write them. After all we all have more or less common features which many are unaware. So, here we go: